Follow by Email

domingo, 28 de dezembro de 2014

Pedido de apagar velinhas



Querido novembro,
Não seja breve como os demais.
Podes até ser voraz,
Mas seja bem mais vívido.


Traga-me mais um ano de paz,
Mais um ciclo que eu fui capaz
De saber viver e sobreviver.

Que eu esteja pronta, agradecida.
Que todo passado desta vida
Ficou pra trás, sem voltar jamais.
E Te dou graças, Meu Pai! 

05 de novembro de 2014.





O Amor em Nós



Doze anos para tudo mudar,
Pra dois destinos distintos unir.
Quatro mãos querendo se tocar
E uma distância a impedir.

Fora eu,
Quem a dúvida da paixão lançou?
Foste tu,
Que no lugar do pessimismo desolador
Criou em minha mente
Imagens de pequenas esperanças?
De um eu feliz,
De um você, meu amor.

Culpados!
Desimportante fato...
Fomos nós dois!
Os nós das dores se desfizeram.
Coração que com mais sentido bate.
Saudade, que uma certeza terna traz.
E mais... Amo-te!
Eu decido no hoje, de todo dia.

 28 de dezembro de 2014.




 

sábado, 9 de agosto de 2014

Pensamentos, meu caminho para seu carinho

Pensamentos,
Os meus são viajantes.
Em você,
São permanentes.
Quando vividos,
São paraísos.
E memoráveis,
Ao trazer um beijo.

Que sem querê-los,
São mais queridos.
E que mais quero
Quanto mais penso.
E partilhamos
Sensações felizes.
E de amor
Nossos pensamentos
Tornam-se iguais.



 08 de agosto de 2014.

Derivação do Amor





Um universo
E eu morando dentro de um abraço,
Onde se somam nossos passos
Tangencialmente tortos.

Uma vida
E eu sonhando com o olhar mais doce
E se fosse lógico esse encontro,
A probabilidade de sermos o que somos
Tenderia a mais infinito.

Pouco tempo
E eu planejando as minhas memórias futuras,
Criando funções quadráticas emocionais constantes
Para que maximizem nossa história.

Integrando nossos destinos,
Sabemos que nossos antepassados se cruzaram.
Sem saber que, matematicamente amando,
Não sei expressar em a + b
Que seremos sempre nós,
Mas certa de que seremos racionais
Como números, tão naturais!

Amor meu,
Multiplicador de sons e de cores.
Seja o que for, conjunto de amores;
Sejamos felizes,
Como um cálculo: sejamos exatos!

Que sejamos únicos,
E que eu seja a solução
Que satisfaça seu prazer;
Da equação,
Sejamos os lados opostos
Que se igualam.


Nota:
Derivar = Obter novas funções, a partir de uma variável, o Amor, esse estranho x da questão, invariavelmente variante, do tipo mãe, pai, filho, amigo, paixão.






 08 de agosto de 2014.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Era Lua, Era Eu


E só de estar perante a Lua
Seu olhar movia as nuvens.
E a admiração que emergia em uma
Se fazia em agradecimento e espetáculo na outra.

Se entendiam por vias cósmicas espirituais.
Uma humana, com dons lunáticos;
Outra astro, satélite solitário.

Como um corpo celeste tem um querer?
E como pode o brilho estrelar em uma mulher?

Eram duas, naquele instante, sendo uma,
Por apenas descreverem a mesma órbita.
O distanciamento nunca impediu eclipses...
E muito menos encontros de almas.




13 de fevereiro de 2014.