Follow by Email

sábado, 2 de junho de 2012

Afastado



Onde está a eletricidade que existia
E aqueles olhos fixados em beijar?
O amor tido como de estudante
Era maior do que qualquer ficção.
Hoje a fenda se alarga mais
E com ela o amor também se dilata.
O sobrevivente se abafa, se ofusca;
Eu, envolvida, não sei mais como lhe arrancar.
O equilíbrio está no fascínio e no desdém de lhe reencontrar.
Retorne desaparecido!
Aqui sou seu espaço.
Se afastando mais e mais,
Não voltará...

19 de junho de 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário