Follow by Email

domingo, 31 de julho de 2011

Menino Meu

Tu me alcanças num cheiro,
Transpassando o que nos é invisível.
Um toque, um beijo de amor
Está sujeito a ser meu combustível.

Brinquedo de carne e osso,
Girassol de veludo;
Forte como uma muralha
E maior do que o mundo.

Ao menino dos meus sonhos
Amor vim ofertar;
Tirei mensagens das estrelas
E poemas do luar.

Ah! O clima entre nós dá o tom,
E um beijo é o nosso som,
Das janelas se abrindo,
Desse amor invadindo.

Quero ser sua heroína,
Te dar fuga e energia
E me abrigar em ti!
Ser a ladra do meu ladrão,
E arfar com sua respiração...

23 de setembro de 2006.

Pensamentos Soltos

 
Sob os olhares da intolerância,
Submissão, monotonia,
Eu prego o amor incondicional
Nesse mundo infernal.

Eu quero a parte que me cabe;
Cadê a fatia que se seria minha?
Invasão de território pessoal é sair da linha.

06 de novembro de 2005.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

A Realidade é Que...

Eu tinha tudo. Tudo para ser feliz. Mas a felicidade para mim só estava em um sentido e, por causa deste, acabei perdendo privilégios que a vida ofereceu. Eu sempre quis amar alguém, sabe relação homem e mulher, casal. Por esse motivo deixei passar outros tipos de “amores” pela minha vida. Realmente, se sofri por amor, foi bem merecido. Esse fato de “quebrar a cara” é uma questão mais de aprender. Porque cada tapa que levo do mundo me faz amadurecer, chorar e tentar fazer algumas coisas diferentes.
Mas, voltando ao começo, vejo que correr atrás do amor não traz lucro algum. A minha pressa em encontrá-lo me distancia mais ainda do verdadeiro e me afasta de amores que a vida nos cerca. Pessoas tão importantes, sem serem notadas, vão e eu fico. E aqueles pequenos instantes de alegria foram devido a estas pessoas. A minha carência de paixão não me deixou ver que eu iria perdê-las e eu não soube aproveitar, desfrutar de companhias que me queriam bem, que me tentaram mostrar o meu caminho.
Eu havia dito que eu tinha tudo para ser feliz. Porém, nada acabou; a esperança, última, ainda não morreu e mais ainda, eu estou viva. A ignorância do mundo em relação a minha história só me faz crescer para enfrentá-la e provar para o eu do passado que meu futuro é tão imenso, que o presente nem se dá conta de tanta amplitude.
Eu devo ao que serei (melhor), aos que me rodeiam e aos que contribuem para eu seguir.
Hoje eu tenho tudo para que, agora, o amor me encontre.


02 de dezembro de 2005.


Escrevo

Existem pensamentos me rodeando agora.
Nesse momento, penso: “O que eu escrevo?”
Às vezes, me falta sentido pra ter
Alguma fonte nova para escrever.
Amor, revoltas, solidão, não quero mais.
Quero um novo assunto que acabe em rima,
Quero uma frase curta, contendo tudo de mim;
Cujas palavras sejam bonitas,
Totalmente bem desenvolvidas
Para que quem leia saiba que não parei.
Eu continuo escrevendo sim,
Para mim, para quem quiser ler.
Para quem querer sentir o que eu escrevi.
E se um dia eu parar de sonhar,
Exatamente nessa hora estarei escrevendo:
“Este é o meu fim”.


Enquanto estiver com a mente sã,
Um lápis ou uma caneta com papel,
Estará ao meu alcance quando uma nova ideia brotar.
A semente do meu coração falará
O que Deus deixou, sob Seu controle,
Em minhas mãos.

25 de abril de 2006.

sexta-feira, 22 de julho de 2011


De onde vem essa fé que ainda me resta?
Essa luz tão forte, mas não me cega.
É o único caminho que me conduz;
É meu Deus que me enche de luz.
Eu sei que Ele vai me proporcionar
Toda a felicidade do meu ser;
É só confiar em Ti e Te amar,
Que um dia eu vou, feliz, viver.
A vida é muito difícil aqui, Senhor,
E nada posso fazer, a não ser sonhar
Que um dia, no mundo, não exista mais dor,
Porque Vossa paz sobre nós cairá.
E ensinar que só tendo amor
É o melhor caminho pra Lhe encontrar.


Novembro de 2004.


terça-feira, 19 de julho de 2011

A Vez


Resgatei uma estrela caída,
Doei sorrisos sem precisar;
Pairava mistério em terra
Enquanto eu andava no ar;
Achavam que eu lunática.

Confia-me, acredite,
Escute-me por curiosidade.
Não despreze, me engaiole;
Não quero mais voar.
Cortei as minhas asas.

Sou um termo assim...
Não me humilho por você,
Apenas amo toda sua existência,
Tua continuidade.
E prossigo te visando.
Você é a vez que eu implorei
Durante todos esses anos.

17 de maio de 2006.

Tamarinterpretando

Não argumenta e se diz menina
Ora crescendo, quase mulher.
Verdade, Tamara não se explica
Deixa o coração aberto
E fechado o quer.
Afinal, ao que ela aspira?
Precisa de alguém para desabafar
Quando não se tranca e, sozinha, chora.
Tamara quebra a cara quando se joga
E explicando,
Se arrepende quando não se arrisca.
Tamara não quer ninguém no pé;
Gostar iria ter alguém aos seus.
Tem pavor de perder
Sendo o favor que lhe fazem
É sempre o que teme.


04 de maio de 2006.

Para Ela



Ela,
Ah, se eu pudesse fazer algo por ela!
Ela que se entristece por algo não esquece.
Mas é nela que um amor vive a viver,
Pois não chega ao fim o seu sofrer
Por ele,
Que sabe sobre os sentimentos dela,
E não quer que seja ela
A pessoa que irá lhe acompanhar.
E dele, ela terá somente o seu carinho
Apenas como um bom amigo;
É só isso que ele quer e pode lhe dar.
E aquela que apareceu na vida dele
É quem deve ficar com ele;
E nem vão se importar
Com o triste olhar dela,
Que fez esperança num sorriso;
Era tudo simplesmente que foi preciso
Para alegrar o coração dela.
E para ele,
Ela nunca ocupará o lugar daquela...

23 de fevereiro de 2005.

Inexplicável


O amor é uma experiência indefinida;
Não se sabe como começa,
Não se sabe como termina.

Leva-nos a agir
Sem razão, loucamente;
Mas o amor é a razão
De agir tão imprudente.

05 de julho de 2006.