Follow by Email

terça-feira, 2 de outubro de 2012

O Chamado

Quando se é diferente;
Quando o mundo já não é o bastante;
E no peito aflora uma inexplicável dor;
Pode ter certeza: você é um escolhido.

E de repente, seus atos de antes
Se tornam seus piores pesadelos.
E esse passado não faz mais sentido,
Tão cruel, esquecível, ignorante e ignorado.

Depois, vem a sede pelo novo;
A vida, a alegria e suas verdadeiras razões.
Vontade de fazer a diferença,
E realização somente por esta escolha.



E assumir-se em uma postura de fé,
Da vivência de um Amor maior.
Porque Este é salvação;
É vida sedenta de vida.
É entrega, sem exigência;
Somente a troca gratuita
Valerá por todas as privações.

Não há pânico, nem desespero.
É um chamado natural;
Basta você reconhecer
Sua voz,
E seguir... sem medo de olhar pra trás.


02 de outubro de 2012.


sábado, 2 de junho de 2012

Tempo



Eu vou explicar, não mexa comigo,
Se o que você quer é só brincar.
Meu ser não aceita correr esses perigos,
Pois eles levam a desmoronar.
Enquanto há tempo, se afaste de mim;
Meu coração pode se acostumar.
Sei que não serei grata após o fim,
Porque meu rancor por você
Tu me farás assinar.
Jogue o seu charme para outra qualquer,
Porque eu não me abalo mais.
Você já sabe que eu fico com o prejuízo
Quando é meu sonho que se desfaz.

Ainda sobrou um pouco de fé que existia em mim.
Segurei nos restos de minhas forças,
Mas eu não estou preparada para enfrentar outra tempestade.
Depois que o temporal passar,
Se os quilômetros que nos distanciam
Ainda nos unir,
Você vai me encontrar
Num belo som de uma guitarra;
Na melodia que dizia que um dia
Já amou alguém.
Basta! Chega! Se já terminou...
Eu estou entregando os pontos...
Eu proponho que me esqueças por uns tempos,
Eu suponho.

Rasgar minhas cartas é confessar derrota;
Relatar é melhor, eu me tranco de todos.
Chorar escondida, me faz lembrar que senti;
Que por algum motivo forte, ainda vivo.
Quantas propostas recusei?
Ignorei o que passou de ruim.
Você foi meu incentivo;
Em amor lhe transformei...
Muitas manchas reviveram;
Era para ser melhor,
Se você não tivesse que ir.
Mas tudo fica no seu tempo,
E quando eu me rendo, depois aprendo.
Já sofri demais...
Pode ser cedo pra dizer adeus,
Pra esquecer os sonhos meus;
Mas como toda bela canção, acabou.


21 de junho de 2005.

Afastado



Onde está a eletricidade que existia
E aqueles olhos fixados em beijar?
O amor tido como de estudante
Era maior do que qualquer ficção.
Hoje a fenda se alarga mais
E com ela o amor também se dilata.
O sobrevivente se abafa, se ofusca;
Eu, envolvida, não sei mais como lhe arrancar.
O equilíbrio está no fascínio e no desdém de lhe reencontrar.
Retorne desaparecido!
Aqui sou seu espaço.
Se afastando mais e mais,
Não voltará...

19 de junho de 2006.

sábado, 26 de maio de 2012

Pensamentos Soltos II

Não sou adepta do encurte a vida.
Às vezes não consigo controlar minha língua felina
Se meu nervosismo está acumulado.

26 de novembro de 2005.

sábado, 19 de maio de 2012

Amor Inexistente




Quando fico a sós com meus pensamentos
Eu sinto que preciso ter você ao meu lado.
Eu penso em ti, em qualquer lugar;
Como saber se isso é amar?
Um simples olhar já é o bastante
Pra me convencer a deixar de te esquecer.
Mas não posso revelar pra você
O que mais quero,
Que é estar contigo e te tocar.
Porque não é possível voltar no tempo
E tentar mudar tudo que é passado.
Mas, para mim, só resta mesmo é esperar
Que tu queiras voltar.
Nossos limites são distantes
E nós dois temos medo de perder;
E pelo brilho dos teus olhos posso compreender,
Porque seu sorriso é sincero,
E diz tudo o que nunca soubes falar.

Porque teus olhos expressam
Amor, dúvidas e mentiras?
Já não sei o que se passa
Entre nossas duas vidas.
Entender é revirar o complicado
Do avesso, do meu e do seu lado.
Daqui só vejo o que eu queria;
Mas a verdade é inexistente
A meu favor.

13 de maio de 2004.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Não me Ame


Não me ame
Se for para partir.
Pois eu gosto de romance,
Eu sou fiel,
Posso ser a melhor amiga até;
Mas se assim não quiser,
Não me ame.


Porque sou de outro século,
Eu creio em "Felizes para Sempre”,
Ainda quero andar de mãos dadas
E corações entrelaçados;
Se não for desses, 
Não me ame.



Gosto de manifestações de carinho mútuas
E compartilhar o bem a dois;
De brincar, de cantar, de sorrir, de viver...
E tenho sonhos a dividir.
Portanto, não reclame depois,
E se for para se decepcionar
Saiba tudo desde já:
Não me ame,
Ou melhor,
Nem se aproxime.




 (Mas Deus, eu sei, alguém assim como eu há de existir!)

23 de abril de 2012.

sábado, 17 de março de 2012

O Que Resta

Quando a escura razão me cegar
Não me deixe sozinha aqui.
Num segundo, antecede um calar,
Lembro o gosto de um beijo de ti.

No azul desse mar vou tentar me encontrar,
Desfazendo esse feitiço, que é pra sempre te amar.

Numa nuvem do céu descobri
O limite que posso alcançar;
Eu te toco ao te ver dormir,
Eu te beijo ao te acordar.

Mas de longe, te perco e te vejo partir...

Quando você se arrepender
E o vazio te sufocar;
A Lua te carrega
E o que resta é perdoar.

Na grandeza desse sonho
Vou sem medo de arriscar;
Te buscarei...


                                                       

                                                                                                                                  02 de julho de 2004.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Inteiramente


As lembranças me consolam ou me perseguem.
Eu saio, me distraio;
Você ainda persiste.
E me lembro do que ainda existe.
Você está longe, muito longe,
E eu distante até de mim;
Em outro tempo, em algum dia,
Onde eu me queira mais feliz,
Onde eu te queira mais completo,
Sem desertos, sem ilusões.
Que tua verdade transpareça
No que quero desde sempre;
E sempre, frequentemente,
Estejas tão presente como agora
Num minuto, numa hora,
Do meu mortal ser,
Na minha eterna alma.




14 de fevereiro de 2005.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Fábula


As aparências me enganaram de novo,
E hoje vejo que nada era.
A mentira que acabei de inventar
Já está me corroendo.
Seu beijo me tirou a inocência
E só um banho purifica minha alma.
Quando a profecia se concretizar
Você irá se espantar ao ver sua amada
Naquela mesma prisão
Desde que você a encarcerou.

Eu rôo por dentro te causar sofrimento,
Mas você que provocou,
Você que arranjou razão.
Se a beleza lhe dá satisfação
Você verá como é horrível essa sua pretensão.
A sua trilha se colidiu com a minha;
Mas não carece não,
Você já embarcou em outro trem.
Acho que do seu amor
Só restaram uns grãos,
Porque estou com sintomas de doença do coração.
Palpite ou não,
Acho que você se aventurou em vão;
Eu não vou sair da sua cabeça tão fácil assim.

Você se mostra tão seguro de si,
Mas consegui abalar suas estruturas.
Eu precisei mentir uma única vez
Pra você sentir no corpo e na mente
A dor que me fez;
Você terá que aceitar que sou sua candura.

Eu não quero ser agnóstica,
Mas acredito que amar é lenda.
E se for, deixa meu conto contar
A história de nossas vidas.
Ela sempre será a melhor,
Mesmo sendo a menos comprida.

Não queria me redimir,
Só queria a garantia de um Amor!

10 de setembro de 2005.

Como Eu Sou



Gosto de escrever meus sonhos
Gosto de mexer com sentimentos
Gosto de pensar em mim, me lembrar de nós.
Quero me perder nas horas,
Esquecer o mundo de olhos fechados.
Vou rever todos os momentos,
Reler poemas, Fugir de mentiras.
Quero sentir de novo que eu
Tenho a quem amar e confiar
E que sou a única a ocupar este lugar.
Penso na separação, que se ocorrer,
Causará saudades.
Deixo o que quero o que você faz,
Só pra não me esquecer
Que um dia a tua mão, na minha, segurei.
Pra acabar, vou terminar assim:
Quero poder descansar nos braços de você.

25 de abril de 2005.