Follow by Email

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Foi por Amor...



Leve sonho guardado;
Doce, calmo, como uma brisa.
Céu azul estrelado;
Sol e lua, mar, ondas e areias.
Um só universo com duas únicas vidas
E o nome desse mundo é o amor
Em que nós dois vivemos.

Uma gota é suficiente para matar minha sede,
Da tua boca para o meu desejo.
Só eu sou capaz de perdoar seu coração;
Eu te amo, e sem saber o que isso pode dizer,
É o mais profundo sentimento que lhe expresso.
E se lhe diz algo maior que já viveu,
É isso que quero que você descubra em mim.
De um olhar, sinto tua presença que perdi;
Dois olhares que se cruzam
Para reter a magia do que acontece entre nós.
Mas se não for amor o que sinto por você,
É a coisa mais bonita que posso viver:
É sonhar com o brilho do teu olhar.


 02 de novembro de 2004.

Você



Você que me faz sentir bons sentimentos.
Foi você quem trouxe alegria para meus lábios.
Sem contar nas vezes que você me faz sorrir à toa...
Você, que mesmo quando não está por perto,
Sempre está ao meu redor.
Você me lembra de que ainda vivo,
E vivo com você em mim.
Você, que parece passar despercebido por mim,
Mas sempre fico atentamente registrando seus passos.
É em você que eu penso, na hora que acordo,
Na hora em que me deito.
Só você me abraça assim,
Só você me beija desse jeito.
Você, que me diz coisas sem sentido,
Ou coisas que eu também sinto,
Me pede pra ficar mais um pouco...
Você, às vezes esquecido por instantes de meu pensamento,
Vem à tona, de repente,
E me faz sentir saudades, de você.
Você, que me ama sem saber,
Sem conhecer o amor,
Está sempre aqui, para estar comigo.
Você é especial.
Você é a esperança pra eu chegar lá,
E chegar com você.
Por quê?
Porque só me senti amada por você...

 06 de maio de 2005.

Teus Vestígios




Sei que essa dor não vai cessar;
Com toda a força, ela só faz crescer.
E essa neblina faz me arrastar
Pra algum indício que me leve a você.
Um gesto teu, ou teu sorrir;
Fonte me faz renascer.
Dizer todos os motivos, sem esconder,
De quem se ama não esquece jamais;
E esse destino já traçado eu vou seguir.
Levando teus vestígios na minha história
E lutando contra o risco de me ferir.
Minha alma traz de tudo um pouco,
Mas doi demais começar de novo.
No brilho do seu olhar, me refleti;
Teu riso faz revelar o que no fim
Já foi feito...
O que não tem jeito.


 02 de julho de 2004.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Reunião de Versos Inúteis Destinados a Um Provável Alguém Desavisadamente Distraído

(O Pierrot apaixonado chora pelo amor da Colombina)

Surges como a chuva repentina,
Ou como um esbarrão na esquina.
Somes como espuma ao relento,
Ou como bolhas de sabão contra o vento.

Ninguém mais te vê como eu.
Nem o Pierrot, a tal Colombina,
Julieta tampouco, algo semelhante a Romeu.
Isto é meu, meu querer ser de você.
É júbilo que aguça a adrenalina,
Exaltação apaixonada de um ser.

És segredo, mais que secreto.
Não podes ser mais do que quero
Esse sonho maior do meu objeto.

Por minha alegria, basta o riso.
Que nasce em teus lábios precisos,
E permanece imortal no meu sonho impreciso.

Mas, eu quero ir além.
A vida passaria a esperar
Se não fosse esse desdém.
Quero-te livre por bem,
Fazer desse tal verbo amar
Um recorde nunca alcançado por ninguém.

Com as bênçãos do anjos, consintas. 
Não finjas, não mintas, igualmente sintas.
Se assim não for, meu coração será ruína.

01 de outubro de 2013.


segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Pessimismo


Indócil.
Coração arredio.
E um poema sombrio.

Lendas de princesas.
Sufocantes.
E traumas infantis.

Veneno de sentimento.
Autodestruidor.
E um pulsar arquejante.

Brando tempo, branca alma.
E uma previsão obscura.
Há salvação na noite escura?
Haja fé, rara calma.

Denomine-se.
Anjo singular.
Figura particular.
De ilusões.

Concretize-se.
Vencedor de dor.
Para mundos e fundos.
O fim, chega.


(Seja como fonte que transborda os seus fluidos, inundando as proximidades com o que traz dentro de seu interior.)






30 de setembro de 2013.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Aptidão Natural


Vocação, onde estás?
Estás a se esvair...
Pouco a pouco Tu se vais,
Mais...

Os anos a passar, e você?
Abandonaste-me como os tolos fazem:
Eu que te amo, 
Eu que demonstro;
Por que já não estás entre meus pensamentos? 




Humaniza-me, por completo;
Sinto-me petrificada sem tuas palavras.
Eram tão raras, constantes, intensas, 
Insanas talvez, mas tão minhas.

Peço perdão a Deus, 
Se peco ao querer-te tanto;
Mas és meu único meio de fugir,
De se doar mais de mim.
É o canal onde transponho minha essência:
Haja pureza, haja loucura para tal.

Vinde, uma vez mais.
No jogo das palavras, 
Na molecagem de uma rima, 
Na pirraça de um verso;
Quero fazer-te minha, sem reversos.





06 de setembro de 2013.

Guardião


Soldado do Amor;
Assim, o chamavam.
Por todos os dias,
Combatendo o desamor, o descaso à vida;
Ele se feria, se doava.

Deixava pegadas por onde passava;
Deixava flores em suas marcas.
Os espinhos, ele não os cravava,
Em outros, ele não atirava
A bala da maldade, do ódio.

Esses espinhos recolhia para si;
As dores do mundo, suportava;
Pela paz do mundo, rogava;
Esse era seu sonho,
De fazer-se desnecessário.

Ele existiu?
Quem saberia?
Essa utopia, tão bem-vinda se fosse real.
Quiçá este guardião esteja em construção?
No seu dia-a-dia, pouco a pouco,
Meditando ainda em seu coração
O pesar do mundo, incomodado.

Eu rezo por Ele!
Ele existirá, 
Seja até como um alter ego.
Como um pensamento nos humanos
Que almejam e pressentem
O Paraíso.



06 de setembro de 2013.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Como se fosse tudo novo, de novo...




Serias inocente, quando me provocas uma intermitente vontade de arrancar-lhe sorrisos, de fazê-lo gargalhar lindamente, só pra eu poder gravar esta terna imagem?

Falando coisas banais, apenas para transmitir-lhe uma alegre paz, assim só de ver-te... E o som que pronuncias? Que distinta sensação é parar pra ouvir, qualquer coisa que seja no seu tom.

É essa minha pequena serenidade, breves minutos de sanidade nesse mundo atroz (Alguns dirão que loucura é!).

É uma recompensa imensurável, só me faz um bem te querer tão bem. Se isso é ruim, desejar-lhe o melhor, como saber o que convém dizer?

Pobre alma minha, só pede que tu saibas esse bem que almejo por ti e a ti, pra que assim sejas feliz, feliz...

03 de janeiro de 2013.