Follow by Email

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Queres



Minh’ alma entoa prantos
E sombras sugam meus planos.

Linda, virgem, nua,
(Longe de tuas vistas)
Entregue a ti, a esmo.
O fantasma passado
Inferniza com pesadelos.
Não serei feliz se não possuir o dom,
Enquanto cumprir leis.

Desertada, assim me queres?
Ou apavorada de ciúmes?

Se queres algum vínculo,
Me mantenhas inocente.
Para ter-me por mil verões,
Me preserve intocada.

A ponte que nos leva é o tempo:
Não há voo sem asas.
Com cautela chegarás aonde queres;
Do contrário,
Nossa estupidez intrigas causará.

 04 de novembro de 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário