Follow by Email

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Partir




Águas de amor
Rolem pelo meu rosto;
É privilégio chorar
Se o choro é fonte que te abastece,
É vida que não cessará...

Ninguém me nota quando a Lua me fala
Que olhando-a eu nunca vou mudar.
Por isso, então, vou me despedir,
Desculpar, pedir perdão
E me ausentar...


21 de abril de 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário