Follow by Email

domingo, 3 de abril de 2011

Inverno Interno


A desistência quer fluir
E eu tentando viver,
Querendo não desistir de mim.
O escondido tenta se mostrar;
A dureza do mundo
Quer sobre mim desabar.
E o coração não tem esconderijo,
Ele é o primeiro a ser atingido
Pela falta de amor.

Primavera pra mim não tem,
É inverno o tempo todo,
Por causa dos outros.
Eles fazem o que querem,
Eu pagando o prejuízo;
E ganhando juízo,
E eles só fazendo coisas más.

A justiça há de vir,
Por enquanto eu aprendo
A controlar minha raiva
Misturada com a dor.
Eu grito que existo
E me parece ser sempre em vão.
A faca que sai de cada boca
Faz sangrar só o meu coração.
Acho que sou a última a amar,
Quem acredita que o amor,
Pode tudo transformar.

Mas a razão esmaga a ilusão,
E quem sofre sou eu
E sofrendo estou.

Um dia serei livre,
Livre da solidão.
Terei quem ilumine
Os meus dias cada vez mais,
E sozinha, de novo, jamais.


18 de março de 2006.


Nenhum comentário:

Postar um comentário