Follow by Email

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Sentidos



Na minha vida, meus instintos
Soltaram palavras que eu não controlei.
Sem diários, nem agendas
Este caderno meu confessionário se fez.
A voz de mim me diz que um dia
Meu coração será eterno feliz;
A voz de fora, eu mando embora,
Porque esta me quer infeliz.

Se o sentimento é amor,
Minha alma é tudo o que sou;
Passageiro é o meu ser
E você é o escolhido.
Se toda planta fosse flor
E toda alma fosse boa;
Se eu não pudesse ver
Meus outros sentidos reconheceriam você.

Você fala e me acalma;
Sua voz eu só quero ouvir.
Você toca minha mão
E ela só quer retribuir.
O teu perfume eu senti;
Com os meus olhos só te enxerguei.
Porém sua boca não beijei,
Mas sei que gosto deve ter.

Sem esperar, sem reclamar,
Sem desistir, nem insistir;
Confio no infinito,
Em tudo que estou sentindo.
Sem te falar, você verá,
Eu aqui, no seu sonhar,
Como em meu sonho te vejo,
Você terá percebido meus sentidos.


24 de janeiro de 2006.


Nenhum comentário:

Postar um comentário