Follow by Email

domingo, 6 de março de 2011

A Capacidade do Amar


As noites eram negras
E a solidão me oprimia;
Você trouxe o brilho lunar que me faltava.
Essa ordem natural que eu sigo do amor
É mérito seu que, na mira, me acertou.

Capaz de mover montanhas
É seu amor, minha motivação.
Na palma da mão
Você me tem sempre quando há tempo;
Estou a sua disposição.

Capaz de comover as nuvens,
Fazer chover só por nós dois;
Esse navega contra correntezas,
Sob um céu de trovões.

Simbolizando o que é raro,
Oposto ao que é desprezível;
Nosso amor não é vidro,
É algo que se perpetua a cada novo beijo.


 27 de dezembro de 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário