Follow by Email

terça-feira, 15 de março de 2011

Essência


Amor femíneo quer garantir,
Se prevenir de sua própria fúria;
Amor traz dó ou vira trauma;
E finado, de luto não se vestiu.

É reviravolta no estômago;
Todo o conteúdo do seu âmago.
Nocivo a quem o cultiva,
Como prisão sem guarida.

Amor é misturar fascinação com seu inverso;
Ser louco e mutante, sem querer.
É partilhar em versos
A vocação do Universo.

Se amargar com doçura
E pousar na rua da Lua.

09 de julho de 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário