Follow by Email

terça-feira, 15 de março de 2011

Terremoto


Foi dos olhos mais castanhos que contemplei
Que adquiri meu brilho,
E própria me frustrei por ter caído.
Hoje, aborreço-me a presenciar
Folhas do calendário a raptar meus dias;
Dias que se arrastam me levando a lugar nenhum.
Foi o seu surgir em minha vida
Que fez tremer o meu futuro,
E receio que ele seja tu.

Terremoto, abalo íntimo,
Destruindo a miragem de um príncipe
E os meus sonhos de cinderela.
Sou encantada por teu carinho;
Sou insensata por amar-te.
Não sei o que será de mim
Agora que te pertenço.

13 de setembro de 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário